A pílula mágica….mas eu quero mesmo é ir para Shangri La

September 8th, 2013 por

Sábado,  7 de setembro, dia de independência do Brasil! Viva  a pátria! Comemoremos…..

E, eu? Feliz, na companhia do meu fiel cãozinho Nick,  em casa,  a descansar das longas nove horas dentro de um avião. Eis que toca o interfone….”Doutora me ajuda, minha irmã está a passar muito mal, tenho medo que seja um infarto ou um derrame” diz a voz do outro lado do fio…

Lá vou eu, de estetoscópio e esfigmomanômetro debaixo do braço, torcendo para que nada de grave realmente seja, afinal é meu dia de descanso.

Encontro a paciente gemente, com dor abdominal e náusea. Porém, a temperatura corporal estava boa, a  frequência cardíaca e a pressão arterial absolutamente normais. Passo então para a anamnese mais detalhada e, sou informada que a paciente está há três dias a fazer uso da fórmula abaixo, além de comprimidos de óleo de borragem. O objetivo? Emagrecer e controlar o colesterol, que pela primeira vez está alto, segundo a mesma.

Sou, então,  interrompida pela paciente com necessidade urgente de usar o banheiro, devido a cólica. Aguardo! Quando retorna, a doente informa-me que sente-se um pouco melhor, mas ainda com muitas náuseas.

Enquanto esperava, tentei decifrar a fórmula, mas admito, meu desconhecimento foi quase que total. Perguntei-me, como eu, especialista em Nutrição, pesquisadora da área, inúmeros trabalhos publicados estava ali “absolutamente derrotada” pela “doutora……., Nutricionista Biomolecular”.

Dei minha “simples” opinião sobre a situação, orientei sobre o que fazer no momento  e, prometi que iria decifrar a fórmula.

Aí está……com a minha interpretação singela de cada ingrediente:

  • Feijão-da-flórida (Mucuna pruriens) – fibra
  • Rhodiola rosea L. – antiinflamatório???
  • CIWUJIA – antiinflamatório, aumenta performance?
  • L-theanine – proteção cerebral??
  • Yam mexicano – mil e uma utilidades
  • Pó de amora – mil e uma utilidades
  • Pomegranato (romã) – anti-oxidante
  • Dong quai (Angelica sinensis) – pode interferir com o warfarim (anti-coagulante) e aumentar a anti-coagulação
  • Resveratrol – antioxidante, em geral contido na casca das uvas
  • Picolinato de cromo – controlador de apetite
  • Vitamina K2 – anticoagulante
  • Omega 3 – antiinflamatório
  • GLA (ácido gama linolênico) – mil e uma funções, inclusive tratamento de acne

Nomes de espécies vegetais misturados com palavras em Inglês, algumas inclusive equivocadas, como no caso da romã, que deveria ser pomegranate, traduzem a pílula mágica para o emagrecimento. A maioria dos componentes não têm nenhuma comprovação científica da eficácia, conforme a busca que fiz no Pubmed (onde estão registradas as publicações científicas) e isso, para não discutir as quantidades que são absolutamente aleatórias. Custou caro! Contudo, mais oneroso foi o susto do infarto ou do derrame e claro, meu sagrado momento  de sossego.

O Brasil comemorava a independência, e eu abominava a dependência da PICARETAGEM!

Ainda há gente por aí que diz que o Ato Médico é reserva de mercado. Pergunto, de qual mercado? Afinal todo o mundo virou “doutor”……ai…..quero ir para Shangri La!

Em vez de pílula mágica que tal ver este pequeno filme maravilhoso contra a dita cuja: Pílula mágica para a obesidade!

1 comentário para A pílula mágica….mas eu quero mesmo é ir para Shangri La

  1. Heládio Feitosa Filho comentou:

    Realmente, cara amiga, há uma verdadeira proliferação de “doutores” e cada qual com suas “soluções” desprovidas de fundamentação científica, mas que, como bem disseste, “Custou caro! Contudo, mais oneroso foi o susto do infarto ou do derrame e claro, meu sagrado momento de sossego.”
    A meu ver, no entanto, estás a perder de vista o mais grave disso tudo: foste chamada em caráter profissional, fora do teu horário regular de trabalho, atendeste prontamente, orientaste corretamente e voltaste para teu descanso, com a indignação de que “Ainda há gente por aí que diz que o Ato Médico é reserva de mercado. Pergunto, de qual mercado?” E eu cá pergunto: que mercado é esse, em que um profissional não é remunerado pelo seu trabalho, principalmente quando fora do seu horário regular?
    Conclusão: estamos onde estamos porque não sabemos nos impor neste “mercado” e ainda continuamos a prestar serviços sem cobrarmos por ele. Tenho filha advogada que, se tivesse sido chamada em condições semelhantes às que foste, não teria saído de casa sem ter acertado seus honorários; já nós, doutores…

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *