Tel Aviv….

May 7th, 2013 por

Tel Aviv….a cidade que como o nome indica é a Primavera (Aviv) sobre sítio arqueológico, construído em níveis de civilização (Tel). Ou seja, o nome reflete a ideia de algo que se renova! Assim é esta cidade: gaiata, bonita, moderna, liberal….mas, desconfiada!
Andar pelas ruas de Tel Aviv é um despertar de sentidos a cada momento. Vê-se de tudo com muita naturalidade: pais a passear sozinhos com seus filhos nos carrinhos; casais gays felizes no seu amor pelo outro; mulheres árabes cobertas dos pés à cabeça; crianças de seus oito a dez anos, cabelos longos ao vento, sobre um patinete e, sem nenhum adulto a vigiá-los; muitos, mas muitos cães, ora com guias ora soltos, com seus donos alegres pela companhia amiga; gente de feições exóticas (cabelos bem negros e olhos azuis como a cor do mar Mediterrâneo); gente bela com “tanquinhos” expostos; muitas bicicletas com pessoas de todas as idades e, muito mais. Melhor que tudo, pode-se caminhar pela orla noite adentro (quase meia-noite) por cerca de 5km, sem ninguém me molestar e tranquila, tranquila! Ainda que lá para cima, supostamente, Israel ande a bombardear os Sírios….peraí….onde mesmo? Aqui….nem notícia! A vida segue normalmente!
Come-se bem em Tel Aviv e, sem preços exorbitantes como no Brasil. Por exemplo, ontem, jantei no Manta Ray, considerado o melhor restaurante da cidade, à beira mar, ambiente super gostoso e comida boa, mas não excepcional. Entrada – pão fabuloso com diversos tira-gostos que eu mesma escolhi entre mais de 10 tipos diferentes; prato principal – vieiras e camarão com molho, que, por azar, estava um pouco salgado; um copo de vinho tinto local – Galil 2009 – Cabernet com Shiraz e; um expresso. Preço R$ 123,15. Na noite anterior, havia jantado no Goocha, também muito legal, com direito a ceviche de peixe local, prato principal com mariscos, sobremesa deliciosa, copo de vinho tinto local (Tabor Adama Cabernet), preço R$ 83,00.
Desconfiada….sim, bastante! Talvez, as razões sejam fruto desse oásis no meio de um deserto, onde o inimigo, em potencial, possa estar em qualquer lugar. Explico melhor com os seguintes exemplos:
– “Digo – Bom dia, será que vc poderia informar-me se o Prof. X se encontra na Unidade?; Resposta – eu não sei quem vc é, porque deveria te responder?!!!; Respondo – sou a Profa. Isabel Correia; Ouço – Hah….vc é a professora que vai dar uma aula para nós. Sim claro, ele deve estar na sala dele. Acompanhe-me!”
– O outro – voltamos de Jerusalém, eu e mais dois professores italianos, no carro dirigido por motorista Palestino e, obviamente, identificado como tal. Vamos deixá-los no aeroporto e, eu viria para Tel Aviv. Ao chegarmos perto do aeroporto, claro, check point bem longe do edifício principal…somos parados. Até aí tudo normal! Mostramos os documentos, tudo ok. Começa o interrogatório em tom arrogante, por parte de um militar que podia bem ser meu filho: “eles vão embarcar e vc porque vai ficar em Israel?”; “vou visitar a cidade e dar uma aula no hospital Y”; “de onde veio?”; “de Ramallah”; “que fez lá”; “dei aulas”; “de que organização vc é?”; “de nenhuma. Sou professora universitária”; “tem como provar?”; “Tenho, no meu computador”; “porque não imprimiu?”; porque quero contribuir com o planeta”; “acha mesmo que economizando uma folha contribui com o planeta?”; “sim, tenho a certeza. Pois se cada um de nós fizesse um pouquinho, teríamos um mundo melhor”. Enquanto isso, o computador vai sendo iniciado. “ah, esse é o convite? Ok, pode ir”. Apesar disto, as pessoas são simpáticas, gentis e prestativas, mesmo quando não falam outro idioma.
Adorei Israel, quero voltar com certeza! Pois há muito para ainda ver….e contar! Aliás, somente vendo e vivendo nossas experiências!. Depois conto sobre Palestina, outra experiência super!
A foto abaixo foi me enviada pelo Guido Manfredi, italiano que estava comigo na experiência do aeroporto.

1 comentário para Tel Aviv….

  1. Dan Waitzberg comentou:

    Ola Isabel
    A experiencia de viver Israel somente será completa se vc passar 2 a 3 dias em Jerusalem, visitando particularmente a cidade velha. Lá vc sentirá na pele, no aroma e nos olhos a santidade que emana das ruas, das paredes, e dos muros.
    Gostei do seu texto
    Dan

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *