Quem ama diz não….

February 24th, 2013 por

Cada vez tenho mais certeza de que quem ama, definitivamente tem que dizer não! Volto no tempo, e recordo-me que à sombra desta árvore

tentei quando garotinha (talvez uns quatro anitos) enfrentar meu pai com a boa teimosia que me era peculiar, para provar que a minha vontade era soberana. Claro, levei uns bons “sopapos”. Benditos! Nenhuma mágoa ficou guardada e, nem sofri crises existenciais porque apanhei na vida, em todos os sentidos.Não sou apologista de castigos físicos e, consegui educar meus filhos sem essa opção, salve um momento de cada um deles, quanto por reação imediata  levaram um “tapa”. Marco Túlio tinha para aí uns dois anos, quando contrariado bateu-me e, foi de pronto retrucado. Nunca mais usou essa técnica e nem eu precisei fazer uso da mesma. Gustavo era mais velho (talvez uns cinco anos) e por ter agredido o irmão, levou umas boas palmadas no traseiro. Também, nunca mais repetidas. Muitas e muitas vezes, disse-lhes não, contrariei-os e deixei-os de castigo, sempre a pensar que o bem deles estava em primeiro lugar e, que certamente, no futuro, colheriam o “não”, semeado na fase de formação. Sem dúvida, hoje, são adultos de bem com a vida, sabem que nada cai do céu, que a luta pelo lugar ao Sol é constante e, que nem sempre esse Sol brilha apesar de todas as batalhas!

Ninguém morre de fome, a não ser em desgraças naturais ou pela mão “ausente” de colegas que desconhecem a importância do estado nutricional no contexto da promoção da saúde e do tratamento das enfermidades. Logo, aqueles pais que giram o mundo de pernas para o ar para agradar o filho/a, que nega o alimento (forma natural de manipulação de um ser pequeno de tamanho, mas grande na arte de usar a boca como sua melhor arma) estão a contribuir para um provável adulto problemático, eternamente manipulador de tudo e de todos. Há que se dizer basta! Pergunto-me, a quem devo tratar, o anorético/bulímico ou os pais? Certamente, os dois….

Também, pouco provável que alguém morra ao ameaçar  pôr fim à vida. Avisar é um ato de demanda de atenção, de um grito verdadeiro de que espero tudo de vocês, porque assim sempre foi, o tempo inteiro como o epicentro em volta do qual o mundo gira. Aqui estou, por favor vejam-me mais ainda!

O hoje é fruto do passado e o amanhã é fruto do hoje…..só isso! Aliás, este vídeo fantástico mostra: Children see, children do!

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *