O sonho….a realidade!

January 22nd, 2013 por

Freud deu-nos as dimensões reais do significado de um sonho! Por isso, é tão importante na psicanálise trabalhar com essa utopia ou ilusão! Assim, tentei arduamente avaliar o significado do meu último…….Porém, eis que surge a dúvida, será que somente os sonhos de quem dorme devem ser analisados?

E porque não escrutinar os “devaneios” despertos??? Nessa mistura das duas hipóteses, será que predominará a nula ou a verdadeira???? (maldita estatística, sempre no ar).

Então…cais, isca, cerveja, vinho, casa, corpo inerte de um passarinho no trajeto para o trabalho, declaração  de amor/amizade e, muito raciocínio científico….ufa, qual será o valor realista destas palavras?

Meu avô Marco Túlio, ídolo da minha infância e venerado até hoje, que me deixou tão cedo um dos maiores vazios do meu ser, diria: “claro querida neta, não percebes que cais é onde os sonhos aportam e isca é o que usamos para os atrair?” – Verdade avô, tem a certeza que é isso mesmo? – questionaria eu na minha tão contumaz maneira de não aceitar os fatos, simplesmente porque alguém os afirma, ainda que esse seja o avô idolatrado e exemplo que carrego comigo!

– Mas avô, e o passarinho morto? –  indago eu de imediato.

“Bem, esse é o fim do sonho, querida Belinha.”

Não avô…não pode, esse era tão real… tinha um monte de pessoas a conversar,  um carro vermelho (igualzinho ao que eu gosto) e cavalos a correr!

“Já te disse menina, o sonho acabou….ou melhor, talvez nem deveria ter começado. Isso tudo é fruto dessa tua cabecinha rica em imaginação, poderosa como uma rainha e  sempre em tempo real. Contudo,  esse  tempo foi de escolhas. Afinal as fizestes em algum momento, mas as vives até que se desprendam para algures”, contesta o avô Marco.

Indignada, retruco – Porque então recebo este belo SMS, que como disse meu amigo Agnaldo é  verdadeira declaração de amor?

“Meu anjo, Deus está por aí e, te traz a esperança de que vale continuar pelo caminho, mostra-te que há outras e velhas possibilidades de sonho, que não este  no cais, com isca….”.

– Que é isso avô, o avô nunca acreditou em Deus, porque quer me fazer ver que é a mão de Deus no meu caminho? –  solto ríspida e imediatamente….

“Neta querida, brilhante e iluminada, eu não acredito, mas tú meu anjo tens esse poder. Por tal, verás que nesse sonho terminado com o raciocínio científico, há a mão de Deus, Alá, Buda, Shiva, Ganesh….tantos os deuses que te fazem crer que existem, como sempre dizes. Interpreta-a como um dos dons ou das razões que justificam o teu caminhar. Mais ainda, o cais e a isca são simbólicos, pois sempre estiveram presentes desde a tua infância, quando entre homens, insistias em pescar….só tú, linha, anzol e isca, no cais do Lobito Sports Club! Lembraste que um dia, fostes tú a isca de um anzol? Nesse dia, decidistes que ninguém jamais te prenderia e serias livre, loucamente livre, mas ponderada!”….”aliás, minha netinha, a borboleta e a metamorfose – tú, simplesmente tú, exatamente como Fernão Capelo Gaivota!”

Ou seja avô, tenho que seguir com a moral e a ética das decisões tomadas lá atrás! Mas, a cerveja e o vinho? – Que me diria avô? Pois, continuo sem entender absolutamente nada deste meu sonho maluco e “bera”…..

“Lembra-te amada minha, uma rainha não precisa de subterfúgios para chegar lá…..” – mas lá onde, avô?

“Longe, algures, por aí….por onde sempre caminhastes, nas águas do ventre, da piscina e dos oceanos que tanto adoras!”

Pluft….uma onda bate forte…..caraca, desperto do sonho….ah não…..não me merece! Bola para a frente! Sonha acordada com  Angola que está pertinho e a árvore que tanto admiro, o imbondeiro, estará lá para ser admirado! Será????

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *