QuitosanaChitosan

March 4th, 2012 por

Neste blog de hoje, vou pular da letra A do meu “Nutrição de A a Z” para quase o final do alfabeto. Como havia dito, o meu compromisso é comigo e com a minha vontade de escrever sobre temas nutricionais que domine ou não, desde que sinta demanda para tal. Essa foi hoje desencadeada por um artigo que li em jornal de grande circulação em Belo Horizonte, em que uma profissional da saúde (nutricionista) explicava o grande poder da quitosana no processo de  emagrecimento. Obviamente,  se fosse uma leitora “comum” teria ficado absolutamente convencida de que mais uma fantástica opção para milhões de indivíduos que lutam diariamente contra a balança chegou ao mercado. Contudo, como sou curiosa e acima de tudo científica, fui pesquisar sobre a dita quitosana que há algum tempo já me tinha chamado a atenção do ponto de vista de marketing.

Usando o poder da internet digitei quitosana no Google® em português e me deparei com 12.500 das mais variadas citações, na maioria sobre as miraculosas propriedades anti-obesidade. Passei para a versão em Inglês e aí, o número foi espantoso: 6.120.00. De fato, o assunto ganhou a mídia “internauta”!

Logo, meu próximo passo, foi pesquisar na literatura científica via Pubmed®, no qual me deparei com 9.233 artigos cobrindo os  mais variados assuntos na área da saúde,  com predominância em temas farmacêuticos e propriedades cicatriciais. Como esperado, tive grande dificuldade para  encontrar estudos clínicos em humanos e, principalmente, no tema tão anunciado pela mídia. Então me pergunto: quem tem a ganhar com essa propaganda, sem base científica? Acho que todos já sabem a resposta….Mas vamos lá discutir um pouquinho sobre este”nutriente.

Quitosana

 

2 comentários para QuitosanaChitosan

  1. João Paulo Lemos S Santos comentou:

    A referência no. 08 me chamou a atenção. Trata-se de um artigo de revisão, de 2011, publicado no Journal of Obesity, no qual foram levantados trabalhos que testaram diversos suplementos, dentre eles a quitosana, os quais prometem perda de peso com seu uso. Neste artigo, observamos que a obesidade configura-se em grande mercado e que os estudos comprovando os reais benefícios destas substâncias são escassos e não confiáveis. Dois fatores estes que juntos merecem a atenção dos profissionais de saúde e exigem precaução aos pacientes, sem falar em maior responsabilidade dos meios de comunicação em massa ao divulgarem de forma indiscriminada este tipo de “terapêutica” à população desinformada.

  2. Emmy comentou:

    You can always tell an expert! Thanks for cogibiruttnn.

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *