Desnutrição hospitalar – o que sei….

September 13th, 2016 por

Quinze anos se passaram desde que defendi meu Doutorado na Universidade de São Paulo. Na época, mostrei sobre a gravidade do problema desnutrição hospitalar e o impacto em complicações, mortalidade, tempo de internação prolongado e, obviamente, custos para o sistema de saúde (1-4). Várias reportagens sobre o tema foram  vinculadas na Folha de São Paulo, no Estado de Minas, no Jornal Nacional da Globo e em outros meios de divulgação. Os resultados do estudo impactaram na criação e publicação de portarias do Ministério da Saúde. Em função disso, a obrigatoriedade da existência de equipes de Terapia Nutricional foi fundamentada (5, 6).

Hoje, voltei a viver o assédio da mídia sobre o mesmo assunto,  em decorrência da publicação da mais recente revisão sistemática sobre desnutrição hospitalar na América Latina, em que sou uma das autoras (7). Considerando que grande número de dados são do Brasil, a atenção da mídia foi novamente despertada. As perguntas dos jornalistas ainda que muitas pareçam simples, às vezes, têm sido extremamente difíceis para ser respondidas e, até dilemas éticos têm-me assombrado.

Hoje, mais experiente e melhor conhecedora da realidade do país nos distintos níveis relacionados com a prática da saúde e do ensino, deveria sentir-me bem mais à vontade para discutir o tema do que naquela altura. Afinal, esse tem sido foco de estudo e de pesquisa por parte do meu grupo de trabalho ao longo desse período (7-23). Contudo, em vários momentos, senti-me receosa sobre como explicar e justificar que após 15 anos, as taxas de desnutrição hospitalar permaneçam iguais no nosso país.

Na verdade, quando me perguntam sobre se posso indicar um hospital modelo na abordagem do problema desnutrição hospitalar, não consigo fazê-lo. Sequer posso mencionar a enfermaria do Instituto Alfa, no Hospital das Clínicas, onde trabalho, o que me deixa profundamente angustiada. Ainda que saiba o porquê do problema, esse não é solucionado parcial ou totalmente e, apontar para as causas é algo quase igual a “dedurar”. Como muitas outras coisas neste país, quem diz a verdade, em geral, sofrerá por tal, sei qual desfecho me aguardará. Por outro lado, calar-me significaria ser anti-ética para com a Sociedade, ou seja, para com os pacientes, motivo da minha escolha profissional. Ademais, ensino Ética para os alunos da graduação e, alguns dos temas das aulas estão exatamente associados com certos fatores de risco para as altas taxas de desnutrição hospitalar. Afinal, o ensino da Medicina (uma das muitas falhas que podem explicar as ditas taxas de desnutrição) está em jogo, assim como estão as relações entre profissionais e administradores, as divulgações de pesquisa e a ética etc etc….ou seja, calar-me significa silenciar os princípios da Ética. Então vamos à verdade nua e crua, a despeito do “trauma”!

 

  1. Correia MI, Caiaffa WT, da Silva AL, Waitzberg DL. Risk factors for malnutrition in patients undergoing gastroenterological and hernia surgery: an analysis of 374 patients. Nutr Hosp. 2001;16(2):59-64.
  2. Waitzberg DL, Caiaffa WT, Correia MI. Hospital malnutrition: the Brazilian national survey (IBRANUTRI): a study of 4000 patients. Nutrition. 2001;17(7-8):573-80.
  3. Correia MI, Waitzberg DL. The impact of malnutrition on morbidity, mortality, length of hospital stay and costs evaluated through a multivariate model analysis. Clin Nutr. 2003;22(3):235-9.
  4. Waitzberg DL, Correia, M.I.T.D. Custos e benefícios da nutrição enteral e parenteral na assistência integral à saúde. Rev Bras Nutr Clin. São Paulo1999. p. 213-9.
  5. RDC 63
  6. Portaria 272.
  7. Correia MI, Perman MI, Waitzberg DL. Hospital malnutrition in Latin America: A systematic review. Clin Nutr. 2016.
  8. Ferreira LG, Anastácio LR, Correia MI. The impact of nutrition on cirrhotic patients awaiting liver transplantation. Curr Opin Clin Nutr Metab Care. 2010;13(5):554-61.
  9. Ferreira LG, Anastácio LR, Lima AS, Correia MI. Assessment of nutritional status of patients waiting for liver transplantation. Clin Transplant. 2011;25(2):248-54.
  10. Anastácio LR, Ferreira LG, Ribeiro HeS, Lima AS, Vilela EG, Correia MI. Weight loss during cirrhosis is related to the etiology of liver disease. Arq Gastroenterol. 2012;49(3):195-8.
  11. Borges MC, dos Santos FeM, Telles RW, Lanna CC, Correia MI. Nutritional status and food intake in patients with systemic lupus erythematosus. Nutrition. 2012;28(11-12):1098-103.
  12. Oliveira GT, Andrade EI, Acurcio FeA, Cherchiglia ML, Correia MI. Nutritional assessment of patients undergoing hemodialysis at dialysis centers in Belo Horizonte, MG, Brazil. Rev Assoc Med Bras. 2012;58(2):240-7.
  13. Brito PA, de Vasconcelos Generoso S, Correia MI. Prevalence of pressure ulcers in hospitals in Brazil and association with nutritional status–a multicenter, cross-sectional study. Nutrition. 2013;29(4):646-9.
  14. da Silva JB, Maurício SF, Bering T, Correia MI. The relationship between nutritional status and the Glasgow prognostic score in patients with cancer of the esophagus and stomach. Nutr Cancer. 2013;65(1):25-33.
  15. Ferreira LG, Santos LF, Silva TR, Anastácio LR, Lima AS, Correia MI. Hyper- and hypometabolism are not related to nutritional status of patients on the waiting list for liver transplantation. Clin Nutr. 2013.
  16. Ferreira LG, Ferreira Martins AI, Cunha CE, Anastácio LR, Lima AS, Correia MI. Negative energy balance secondary to inadequate dietary intake of patients on the waiting list for liver transplantation. Nutrition. 2013;29(10):1252-8.
  17. Maurício SF, da Silva JB, Bering T, Correia MI. Relationship between nutritional status and the Glasgow Prognostic Score in patients with colorectal cancer. Nutrition. 2013;29(4):625-9.
  18. Correia MI, Hegazi RA, Higashiguchi T, Michel JP, Reddy BR, Tappenden KA, et al. Evidence-based recommendations for addressing malnutrition in health care: an updated strategy from the feedM.E. Global Study Group. J Am Med Dir Assoc. 2014;15(8):544-50.
  19. Fontes D, Generoso SeV, Toulson Davisson Correia MI. Subjective global assessment: a reliable nutritional assessment tool to predict outcomes in critically ill patients. Clin Nutr. 2014;33(2):291-5.
  20. Bering T, Maurício SF, Silva JB, Correia MI. Nutritional and metabolic status of breast cancer women. Nutr Hosp. 2015;31(2):751-8.
  21. Correia MI, Hegazi RA, Diaz-Pizarro Graf JI, Gomez-Morales G, Fuentes Gutiérrez C, Goldin MF, et al. Addressing Disease-Related Malnutrition in Healthcare: A Latin American Perspective. JPEN J Parenter Enteral Nutr. 2015.
  22. Ceolin Alves AL, Zuconi CP, Correia MI. Energy Expenditure in Patients With Esophageal, Gastric, and Colorectal Cancer. JPEN J Parenter Enteral Nutr. 2016;40(4):499-506.
  23. Mauricio SF, Ribeiro HS, Correia MI. Nutritional Status Parameters as Risk Factors for Mortality in Cancer Patients. Nutr Cancer. 2016;68(6):949-57.

 

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *