Meu anti-feminismo na berlinda!!!

April 5th, 2015 por

Os que me conhecem sabem que dia 8 de Março é um como outro qualquer, porque defendo que enquanto houver a necessidade de celebrar-se o dia Internacional da Mulher, isso representa que ainda não somos suficientemente reconhecidas como seres iguais.

O pior é que esta triste realidade é absolutamente verídica! Ao ler a reportagem sobre a mãe egípcia que fingiu, por 40 anos, ser homem para sustentar uma filha, depois que ficou viúva, parei e refleti muito: sim, ainda precisamos de um dia para ser lembradas como seres humanos iguais! Acho então que devo re-avaliar a minha posição e, defender o feminismo!

Essa dura realidade ocorre não só em países em que mulheres são escondidas atrás de véus, abaias e burcas (a maioria das vezes por imposição masculina), mas também no ocidente onde a liberdade é tida como certa. Inconcebível que até hoje, meninas sejam mutiladas pelas próprias mães, como em alguns países africanos,  quando se tornam mulheres, porque o prazer não pode ser sentido. Ou,  ainda, quando o direito de escolher seu companheiro é-lhes tirado, porque compete aos pais escolhê-lo, ainda que neste caso, também o rapaz seja privado dessa opção, como ocorre  em alguns países, tipo a Índia. Contudo,  certamente, a perda do direito de ser ela mesma e  seguir seu desejo próprio não é diferente quando aquela mulher moderna, independente, culta e conhecedora dos seus caminhos é manipulada pelo parceiro, tal qual como ocorre no dia a dia de tantas!

As diferenças entre homens e mulheres são genotípicas, mas são também de sentimentos. Dizem que razão e emoção marcam esta disparidade (a razão masculina e a emoção feminina), mas pessoalmente acredito em sensibilidade, que não necessariamente está ligada ao genótipo, mas sim ao fenótipo e, este último influenciado por milhões de anos de masculinidade. Contudo, na era da multidiversidade e  informação em excesso, será que isto não poderia ter sido resolvido entre os sexos? Ou seja, será que os homens ainda não perceberam que “dor de cabeça” é apenas uma desculpa para dizer não à invasão de um corpo que reage com a cabeça e não com ele próprio? Afinal, um ato que era para ser de amor,  vira simplesmente sexo!

Neste quesito, parece que até o mais doce e encantador dos homens, muda o comportamento quando o obrigatório desejo,  é inalcançável no dia D. Uiva como leão quando sente a fêmea no cio por perto, sem limite do super-ego para controlar a mania do ato, porque afinal, o desejo carnal é superior à candura do sentimento. Não há palavras belas, como “amor lindo”, ou “rainha da minha vida” que apaguem o grito gravado na alma.

Pronto, virei feminista!

1 comentário para Meu anti-feminismo na berlinda!!!

  1. Flavia Ferreira Sá comentou:

    OI,
    Chimanda Ngozi Adichie
    Sejamos Todos Feministas
    Companhia das Letras

    É uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDxEuston em 2012. Com mais de 1,5milhão de visualiações e foi musicado por Beyoncé em “Flawless”.
    bj

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *