Liberdade, palavra quase que sagrada!

October 10th, 2014 por

Hoje, alguém que eu gosto  ficou espantado quando eu afirmei em quem votaria caso tivesse esse direito: Aécio Neves. E, o espanto da pessoa  foi enorme porque, segundo ele, eu não combino com essa decisão.

Pois bem,  aqui está um dos porquês: LIBERDADE! Algo tão precioso e quase que sagrado, que não pode ser calado com enclaustramento de opositores. Em resposta a outro amigo, pela via do Facebook,  há dias atrás escrevi:

…….Discordo de seu posicionamento e,  se isso é ser elite: eu sou! Apesar de não me ver assim, pelo contrário! Faço muito mais do que a maioria que apresenta o discurso equalitário: faço, não falo! Assim, pela simples razão, posso dizer de que senão “por isto ou aquilo”, a alternância de poder é salutar, já que a perpetuação representa o risco do insubstituível: ninguém o é!

No desenrolar de nosso debate cibernético prossegui:

….continuo a discordar e, isto é o belo da democracia: o poder de discordar, de concordar, de levar adiante discussões como esta, de falar mal, de dizer bem, de gritar contra, de bater palmas a favor etc etc. Além de tudo o que salientei acima (na resposta anterior), nos últimos anos sinto, a cada dia, que estamos também a perder esse direito à liberdade com: tentativa real de controle da imprensa, criação de concelhos populares (ou seja, o voto de vereadores, deputados, senadores, eleitos pelo povo, não vale?), tentativa de silenciar os órgãos independentes como a justiça etc.

Logo, se a questão é somente pela corrupção, por corrupção (ainda que abomine isso, essa está, infelizmente, no cerne do ser humano), a liberdade para mim está acima de qualquer outra coisa. Por outro lado, demagogias de bolsas “isto e aquilo”, assim como ensino superior para todos, são a maneira ilusória de se melhorar a condição de um povo. Neste sentido, para de fato haver direitos, pelo menos, um pouco mais igualitários, não se deveria ganhar esmola e cotas, mas sim, ter educação de base com qualidade e saúde, além de segurança. Ah, e por falar em segurança, nos meus quarenta quase anos de Brasil, nunca tive tanto medo da violência urbana!

Enfim, convicções cada um as tem e não pretendo convencer ninguém, mas como seres livres, que bom que podemos discutir, sem querer chamar a atenção, como alguns idiotas que aproveitam oportunidades para aparecer, sendo inclusive mal educados (outra atitude que abomino), sigamos adiante no nosso discutir salutar! Exemplos individuais são, sem dúvida alguma, a marca indelével deixada pela vida e que devem sim ser alardeados para servirem de força e estímulo a outros. No meu caso, também sei bem o que a demagogia representa, afinal, perdemos tudo, inclusive uma nação e a identidade. A última re-conquistada a alto custo e muito suor, por causa do pseudo idealismo que resultou num país miserável, de povo explorado, sofrido e muito, mas muito, mais pobre do que era. Eu vi esse filme recentemente: Angola! Tenho visto outros parecidos: Venezuela, Argentina etc. Ah, e para não mencionar Cuba!

SALVE A LIBERDADE!

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *