Surpresa? Não! Triste? Talvez! Acima de tudo incomodada….

October 5th, 2014 por

Nada mais me deixa surpresa! Não, realmente espero de tudo, de todos!

Talvez um pouco triste em ver as coisas como são e, não como penso que deveriam. Neste sentido pergunto-me, que esperaria eu da vida?

Bem, da vida, talvez nada, pois quem a faz, somos nós, as pessoas! E dessas, que poderia eu desejar? Possivelmente e, contrariamente a Godot, não espero, por isso, faço. Ao fazer incomodo e sou incomodada! Explico melhor….

À Espera de Godot, a peça de  Samuel Beckett, apresentada pela primeira vez em 1953 e, que eu assisti quando tinha uns 15/16 anos, retrata bem meu sentimento satírico/cómico do momento que se vive hoje nesta terra brasilis imensa, mas tão “apequenada” por todos. Gigante pela própria natureza é feita refém pelos filhos deste solo! Às vésperas de uma eleição que poderá mudar os rumos ou continuar na mesmice da corruptível masmorra em que estamos metidos, percebo que o voto obrigatório (por isso, nunca quis pedir a igualdade de direitos políticos)  é sinónimo de manipulação, de favores etc. Antigamente eram os coronéis, hoje é a o poder da esquerda reinante. Enojo-me com tudo!

Afinal à similaridade de Estragon e Vladimir que numa estrada, perto de uma árvore,   como duas criaturas sem eira nem beira, saídos de algures, passam o tempo com jogos e picardias, a rir e a chorar,  falando sobre tudo e todos: um par de botas, os Evangelhos, o suicídio… Esperam por alguém que não chega, que nunca chega: Godot!

Assim, estamos hoje neste Brasil: esperamos o impossível dos filhos deste solo de quem és mãe gentil pátria amada…. Porém, certos filhos deste solo, algumas vezes, já me disseram que não posso emitir opinião negativa,  porque  não sou brasileira. Será que, então, a positiva eu posso? Neste sentido,  devo continuar a enaltecer o que fazemos de bem, o que conquistamos com garra e o que ensinamos apesar dos descalabro da ausência de meritocracia?

Definitivamente, este Brasil é um contraste único em que essencialmente cada um só almeja olhar seu “íntimo”, para não dizer outra coisa. Logo, vota-se neste ou naquele, porque se é amigo do  amigo, ou se deu a oportunidade de vencer ou ainda porque foi/é um dos maiores ídolos do futebol. Raramente, ouvi, “voto porque compartilho a ideologia do partido”. Aliás, há partidos por aqui? Alguém sabe me dizer o que cada um representa? Que ideologia?  A maioria do povo, sim a maioria desconhece a lógica do partido. Talvez, alguns a conheçam  apenas pela lavagem cerebral imposta, aquela que não permite questionar a atualidade e, obriga a aceitar a benevolência da esmola do Estado.

O Estado que deveria garantir o direito à Saúde (sem falsos médicos ou importados, pois não precisamos de gente de fora), à boa Educação (não a superior, essa é uma falácia que não recupera as bases sem sustentação) e à Segurança (evitando fazer-nos reféns dentro de nossos lares decorrente da violência que predomina) mete-se onde não deve. Desta forma, proporciona os descalabros contemporâneos, onde a riqueza não é fruto do trabalho e sim da especulação e, a Ética  inexiste. Como ensinar a separar o joio do trigo, quando a qualidade é comprometida pelos escândalos?

É humano, é humano diriam os incrédulos! E, eu aqui, sigo a meditar, então que se danem todos, pois temos o que merecemos! Os jovens brasileiros de hoje, futuro do amanhã, seguem calados e acomodados, contrariamente aos de Hong Kong que sem violência permanecem nas ruas pelo direito à liberdade. Esquecem-se os daqui, que a deles já foi tolhida há muito pela inexistência de Educação, Saúde, Segurança e Ética.

Termino este post somente hoje, quando a sorte já foi lançada e, meu incomodo é substituído pela “desesperança”.  Afinal, até os mais próximos me parecem inertes à necessidade de ter ideais e não vontades próprias que  somente vislumbram o interesse único: o Eu!

Eu sigo por aqui, ora temporariamente ora definitivamente, mesmo que me digam que não devo ser autêntica, independentemente do que opino:  bom ou mau, vitória ou perda, guerra ou paz! Meus conflitos de interesse são sempre declarados, melhor são escancarados e mesmo assim, incomodam! Enfim, diriam Vladimir e Estragon:

“VLADIMIR. – Terei estado dormindo enquanto os outros sofriam? Estarei dormindo neste momento? O que direi amanhã, quando creio despertar, deste dia? Que esperei Godot, neste lugar, com meu amigo ESTRAGON, até o cair da noite? Que aconteceu POZZO, com seu portador, e que nos falou? Sem dúvida. Mas, em tudo isto, o que terá de certo? (ESTRAGON, que insistiu inutilmente em descalçar-se, tornou a dormir. VLADIMIR o olha.) Ele não saberá nada. Falará dos golpes recebidos e eu dar-lhe-ei uma cenoura. (Pausa.) Do cavalo sobre uma tumba e um parto difícil. No fundo do buraco, sonhadoramente o coveiro prepara suas ferramentas. Há tempo para envelhecer. O ar está cheio de nossos gritos. (Escuta.) Mas o costume os sossega. (Olha ESTRAGON.) Também me olha outro, dizendo: “ — Dorme e não sabe que dorme.” (Pausa.) Não posso continuar. (Pausa.) O que disse? (Vai de um  lado a outro agitadamente; ao fim pára junto à lateral esquerda e olha ao longe.) …….”

 

 

 

1 comentário para Surpresa? Não! Triste? Talvez! Acima de tudo incomodada….

  1. Aira comentou:

    Patriote 1er | (03:01) LORS DE SON PREMIER PASSAGE SUR RDG&1COINFO,JO#82N7;AVAIS DIT TOUT LE BIEN QUE JE PENSAIS DE MAITRE AESCHLIMANN EMMANUEL QUI EST A CE JOUR L’AVOCAT CONSEIL DE NOTRE ENTREPRISE,ET CROYEZ-MOI QUE C’EST NE PAS POUR RIEN SI NOTRE CHOIX S’EST PORTE SUR LUI.QUE LES COMPATRIOTES CONGOLAIS N’HESITENT PAS A LE CONTACTER,IL EST TEMPS DE QUITTER LE “GHETTO” DE SAINT-DENIS POUR LE QUARTIER LATIN.

Deixe um Comentário

Seu email não será publicado.

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *